Google+ Followers

Translate to:

quinta-feira, 12 de março de 2015

O que na verdade, somos


Quero iniciar um tópico de filosofia e reflexão, onde, nos momentos de tristeza ou incerteza, possa acalantar os corações de todos. Vou começar com uma canção de uma banda favorita minha: Fruto Sagrado.

O Que na Verdade Somos


Não há mais segredos pra esconder
Por que complicar a verdade?
Que adianta apontar o caminho
E seguir outra direção?
Quando mundo tenta nos enxergar,
Será que vê o que realmente somos?

Pra falar do amor
Tenho que aprender a repartir o pão
Chorar com os que choram
Me alegrar com os que cantam
Senão ninguém vai me ouvir...

Se a verdade é tão simples, onde erramos?
Ou o que deixamos de fazer?
Se não há mais segredos,
Por que complicamos?
Poucos entendem a verdade!
Pra fazer diferença não basta ser diferente
De que modo eu mudo a história?
Com discurso ou com ação?

Pra falar do amor,
tenho que aprender a repartir o pão
Chorar com os que choram
Me alegrar com os que cantam
Ninguém vai me ouvir sem amor...

O que na verdade somos?
O que você vê quando me vê?
Se o mundo ainda é mau
O culpado está diante do espelho!
O que na verdade somos?
O que você vê quando me vê?
Pra que serve a luz que não acende?
Não ilumina a escuridão.

Fazendo uma interpretação filosófica desta canção, após encontrar minha tribo, a tribo Crossdressing.
“Sim. Hoje posso dizer que estou bem mais feliz que há alguns meses. Hoje posso contar meu segredo às minhas amigas CD sem complicar na verdade. A verdade é tão simples, que ninguém quer a enxergar. Querem nos apagar, se somos luz para brilhar, querem nos esquecer, se somos reais. Querem nos calar, se já estamos na história. Querem nos humilhar, se unidas somos mais fortes. Somos uma luz que ilumina uma escuridão de inverdades, numa sociedade utópica, que querem consertar seus erros com leis anticonstitucionais. Estamos para somar, multiplicar. O que somos nós? Somos o exemplo do amor, o exemplo de um ser completo, que nem mesmo um grande ator não pode nos encenar. Não somos fatos, somos reais, somos pessoas, somos mulheres, somos seres humanos, que fazemos a diferença, por sermos completos. Simplesmente existimos, porque existe o ser feminino, um ser tão real, que se faz presente em todas nós. Poder vestir o que nós gostamos, sentir o vento e a brisa, ser como uma flor...
NÃO SE NASCE MULHER, TORNA-SE MULHER” Simone de Beauvoir.
Isto é o que na verdade, somos.


Kelly Cristina da Silva Martins.

Nenhum comentário:

Postar um comentário